14.7.09

saudade.

ele esperava.
nunca chegava no horário, mas hoje tinha conseguido ser pontual.
a impaciência - pontuada por passos curtos daqui pra lá - era efeito da pontualidade dela, que sempre chegara antes dele.
ela chegou, olhando-o com uma expressão de desculpas, com o mesmo andar sereno de todas as vezes.
- oi. e aí? - ele disse.
- tudo bem. e aí? - respondeu ela.
ele abriu um sorriso e disse: - aí.
(...)


(eu vivo tão sozinho de... saudade.)

4.7.09

vontade de sentir a maresia batendo no rosto...